Servir vinho na temperatura correta traz à tona todos os seus encantos.
Sem querer ser muito dogmático, o vinho branco precisa estar suficientemente frio para ser refrescante,
ao passo que o vinho tinto deve estar um pouco mais quente.
Em dia quente de verão, seja qual for o vinho,
é preferível o vinho estar mais frio do que em uma fria tarde de inverno.

>
  • Entradas
    • Sauternes a riqueza e a textura semelhante à da glicerina desse doce vinho que o faz tão versátil e compatível com uma vasta diversidade de comidas. Tradicionalmente o Sauternes é servido com Foie Gras.

  • Peixes e frutos do mar
    • Os Rieslings da Alemanha e da França são leves e aromáticos e vão do seco ao doce. São perfeitos com frutos do mar. Sugestão Truite Diane e Saumon aux Herbes de Provence.

      Sacerre jovem pode ser ácido, mas esse toque vai muito bem com canapés. Peixes e crustáceos são bons acompanhamentos. Peixes com molho de limão ou mostarda também vão muito bem. Sugestão Saumon Sauce Moutarde e Sole Citron.

      Pouilly-Fumé o defumado peculiar desses vinhos secos refrescantes e concentrados os tornam parceiros dos crustáceos. Sugerimos Langouste Au Berre Chaud.

  • Carnes vermelhas
    • Um Rioja jovem tende a ter bom frutado, palato duradouro e sabor de carvalho, especiarias e morango, e o ideal seria servi-lo com cordeirinho assado ou porco – uma iguaria tradicional de Rioja. Um Rioja mais velho, de 5-6 anos, se ajustaria mais a um prato forte de cordeiro assado com alho e ervas. O condimentado e a rudeza deste vinho podem ser características apreciáveis, portanto, pratos cozidos com temperos sutis lhe fariam boa companhia. Sugestão é o Cótelettes D´agneau Bodelaise.

      Os vinhos produzidos com a uva Tempranillo são frutados, mas frequentemente tem menos sabor de carvalho que o Rioja. São adequados a pratos leves de carne vermelha sem molhos espessos. Sugestão é o Filet Bordelaise.

  • Aves
    • Borgonha tinto são os mais opulentos dos vinhos tintos – bem aromáticos e sedutores na cor, deixam um laivo de especiarias no palato. Como a Pinot Noir é uma das uvas de manuseio mais difíceis da vinicultura, seus borgonhas podem ser dispendiosos. Às vezes são delicados. Levemente encorpados e bastante ácidos, mas sempre nos causam surpresas no palato. O parceiro sugerido é Pato Canard a L´Orange.

      Barbaresco é leve, seco e aromático, este vinho vai bem com aves domésticas. Sugestão é o Confit de Canard e Pintade aux Funghi. Pratos vegetarianos ficam maravilhosos com este vinho.

  • Queijos
    • Sancerre o toque leve da groselha deste vinho vai bem com o sabor e a textura do queijo de cabra.

      O Sauternes também é um parceiro natural para a maioria dos queijos – sua doçura contrasta perfeitamente com um Gorgonzola. Para receber um presente de paladar e textura, sirva resfriado com um queijo de cheiro forte de qualidade, uma pêra e um pouco de pão branco.

  • Sobremesa
    • As sobremesas são realçadas por um sauternes gelado. Sugestão Poire Richelieu.


A adega Le Troquet é climatizada com vinhos que representam
diferentes regiões vinículas do novo e do velho mundo.